Michelangelo Bastiani

OBRAS
BIOGRAFIA

BIOGRAFIA

BAIXAR CV

Michelangelo Bastiani é um artista italiano, nascido em 1979.

Depois de se formar no Art Institute of Florence, formou-se na Academy of Fine Arts com especialização em Pintura e Fotografia sob o maestro Gustavo Giulietti. Hoje ele trabalha e vive na Toscana.

Reconhecido por suas exposições na Itália e no exterior: Michelangelo é representado pela Luis Maluf Art Gallery no Brasil, Opera Gallery em Londres, Aria Art Gallery em Florença, Barbara Paci Gallery em Pietrasanta, Boccara Gallery em Nova York e Cidade do México, Liquid Art System Gallery em Capri e Positano, Mark Hachem em Paris e Beirute, Galeria Vivendi em Paris, ele tem uma instalação permanente no centro de Capri, exibiu em Veneza, Florença, Milão, Turim, Roma, Capri e Pietrasanta. Bastiani exibiu seu trabalho na Galeria Saatchi em Londres, Paris, Hong Kong, Cingapura, Frankfurt, Oslo, Roma, Kiev, Istambul e nos Estados Unidos em Nova York, no Museu Contemporâneo Mana de Jersey City, Galeria C24 em Chelsea – NY, Houston, Miami, Palm Beach.

O trabalho de Bastiani é composto por projeções interativas de vídeo e instalações de holograma em telas de LED, concentradas no tema da água. Desde o início de sua carreira, a água tem sido o centro da investigação artística desse artista, disposto a representar uma arte que sempre muda, que nunca é a mesma, características que o elemento carrega intrinsecamente consigo mesmo. Devido à sua natureza dinâmica, a água sempre foi difícil de representar. A estratégia para resolver esse problema é através da tecnologia que permite uma interação tangível, uma conexão direta com o espectador: uma cachoeira nunca terá um fluxo constante, mas muda de acordo com as pessoas que passam à sua frente, que efetivamente se tornam parte de o processo cinético do trabalho. O natural é comparado ao artificial; a força dos elementos encontra sua representação em um casamento antitético. Um casamento de aprisionamento da natureza causado pelo homem, mas ao mesmo tempo exaltação e necessidade de um para o outro.

Os hologramas de vídeo são baseados na teoria de Bohm de que “nosso universo é um holograma gigantesco e esplendidamente detalhado”, em meus trabalhos reproduzo um microcosmo em uma garrafa, onde vídeos, bidimensionais por natureza, se tornam realidades sólidas e dinâmicas. É uma percepção visual que pode ser explicada pelas leis da Gestalt.