STOP!

CRANIO

STOP!

26 de Nov 2021 – 09 de Fev 2022
Usina Luis Maluf – Rua Brigadeiro Galvão, Barra Funda

O artista Cranio apresenta aqui obras inéditas produzidas nos últimos dois anos, desde o início do isolamento dado pela pandemia. As temáticas de cunho social são o ponto-chave que direciona suas criações, compostas sempre de proposições acerca de política, raça, relações de consumo, questões ambientais e de classe. Cranio propõe uma fusão entre fruição estética e reflexão crítica.

A exposição acontece na Usina Luis Maluf (ULM), novo espaço da galeria, localizado na Barra Funda, bairro que tem se destacado como crescente polo do circuito artístico de São Paulo. Além de abrigar o programa de residência artística da galeria e eventos culturais, ações sociais e educativas, a ULM apresenta um intenso programa de exposições, com a possibilidade de visitas guiadas e de eventos com os artistas e demais agentes culturais.

A visitação acontece de 26 de novembro de 2021 a 09 de fevereiro de 2022, de segunda a sábado, das 10h às 18h (ULM – Rua Brigadeiro Galvão, 996, Barra Funda). Gratuita e aberta a todo o público.

SOBRE O ARTISTA

Fabio de Oliveira Parnaiba, o Crânio, nasceu em 1982 na cidade de São Paulo.

Crescendo na Zona Norte, aos 16 começou suas primeiras intervenções na cidade, sendo influenciado pela dinâmica urbana e os movimentos de rua da região. Autodidata na técnica em spray, o artista criou um estilo irreverente e muito particular que pode ser lido tanto como homenagens festivas quanto denúncias pertinentes e ácidas.

Crânio é adepto ao free-style, permitindo que a inspiração e o momento guiem a concepção do trabalho. Uma das suas “marcas registradas” é o índio azul extremamente presente em suas obras. Eles possuem inúmeras formas e vestimentas, como se fossem indivíduos de uma espécie criada pelo próprio artista, nascendo da intenção de criar um personagem que se relacionasse diretamente à imagem do Brasil. Seu Universo vibrante é urbano e selvagem ao mesmo tempo, construído a partir de uma variedade de inspirações que passam pelo Surrealismo de Salvador Dalí, por referências pop, por cartoons e por animações.

Com trabalhos expostos ao redor do mundo, suas obras são certeiras ao construir narrativas que mesclam sentimentos e reações dos espectadores. Temáticas de cunho social são um ponto-chave que direciona suas criações e as problemáticas brasileiras são protagonistas, sejam relativas à política, consumo, poluição ou meio ambiente, gerando uma fusão entre fruição estética e reflexão crítica.